Quem sou eu

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
positivosim@gmail.com Sou um cara normal, que contraiu o HIV em uma relação homossexual monogâmica (ao menos da minha parte). O resto vai ser postado aqui nesse blog...
Google
 

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

O Início de Tudo

Estava solteiro há uns dois anos, se não me engano (sou péssimo com datas), quando me descobri soropositivo.
Minha reação foi bem diferente das pessoas que conhecia que já possuíam o vírus.
Me lembro de assistir um espetáculo de dança anos antes mostrando como as pessoas reagiam ao abrir o envelope do exame. Os sentimentos eram de um medo generalizado, medo de abrir o envelope, incredibilidade do conteúdo, de ler novamente como se algo fosse mudar o que já estava escrito antes mesmo de ser aberto.
Não senti nada disso! Também não senti raiva, nem me vitimizei. Minha reação na hora e durante muitos anos foi a de proteger aqueles ao meu redor. Proteger meus amigos e minha família, para quem eu tinha contado tudo antes ou logo depois, pois eles pareciam sofrer muito mais do que eu. Hoje em dia, vi que talvez tenha feito isso para ser aceito sem maiores preconceitos e por negação do fato.
Para entender melhor minha reação é preciso voltar um pouco no tempo.
Quem leu meu perfil já sabe que sou homossexual.
Iniciei minha vida sexual tarde, com quase 20 anos. Não fui nem sou um cara promíscuo e sempre gostei de namorar. Para mim sexo é algo que melhora com o tempo e intimidade, algo para ser feito a dois e entre quatro paredes.
Meu último namoro foi bastante conturbado, fui traído milhares de vezes, só tendo descoberto isso após alguns anos. Contudo, infelizmente, fiz o que nunca deve ser feito, deixar sua saúde nas mãos de outra pessoa que não você mesmo! Cego de paixão, resolvi que após os exames de AIDS serem feitos, com resultados negativos, poderíamos fazer sexo sem uso de preservativos, e esse foi meu maior erro.
Após descobrir as traições terminei o relacionamento, mas fui procurado tempos depois e acreditei no arrependimento, então resolvi dar outra chance. Entretanto o fato de estar junto me relembrava tudo e trazia um sofrimento absurdo, insuportável, que gerava um novo término. Por sua vez essa "finalização" me fazia sofrer, me dando a impressão de que a única pessoa que poderia fazer aquela dor excruciante passar era aquela que a tinha gerado - hoje vejo como estava enganado e como esse pensamento era infantil, pois só eu era capaz de acabar com o sofrimento. Entrei em um ciclo vicioso de términos e voltas! A cada volta as perguntas e respostas eram as mesma para ambos:
-"você transou com alguém?"
-"não!"
- "se transou usou camisinha, ?"
- "não transei, mas se tivesse, é claro que teria usado!"
Obviamente que a resposta para a primeira pergunta era mentira na maioria das vezes, mas na minha cabeça, ninguém seria capaz de mentir na segunda, pois além de arriscar a própria vida, estaria arriscando a de alguém que alegava um amor absurdo.
A burrice, assim, continuou a ser feita, e continuamos a não usar preservativos mesmo com os términos no meio do caminho.
Passado muito tempo após o último término, eu já havia perdido contato com esse namorado, mas não consegui me envolver com ninguém, talvez pelo trauma de um relacionamento destrutivo, de tantas traições, quando, de repente, ele resolveu entrar em contato comigo pois tinha algo muito sério para me contar.
Achei uma chatice! Já não sentia nada e aquela pessoa me trazia péssimas recordações, porém desconfiei do tom e achei melhor saber o que era.
O que me foi contado me surpreendeu bastante. Não pelo fato em si, mas pela audácia de querer jogar a culpa em mim. Era um mentiroso compulsivo e o coloquei contra a parede até me contar que na última vez que transamos já desconfiava estar com alguma coisa, pois percebeu vários gânglios pelo corpo. Foi então ao médico, fez exames e descobriu ser soropositivo e precisar de remédios imediatamente. A alegação era de que isso já tinha algum tempo, e que não era justo estar bem sem que eu soubesse, já que eu poderia estar mal.
Percebi na hora que havia uma intenção de voltar, algo de "unidos pela doença"! Desconfio até hoje que, como disse acima, por ser um mentiroso compulsivo, sabia da situação e fez de propósito, pois caso contrário não me contaria que "suspeitava" disso ainda assim tendo transado comigo.
De qualquer forma o que me irritou não foi a transmissão nem a mentira ou essa tentativa infeliz de união pela doença, mas o fato de querer colocar a culpa em mim pela contaminação dele. Isso era demais!
Não tive nem tenho raiva por ter pego o HIV. Não posso falar em culpa, afinal se alguém tem o poder de decidir sobre a minha saúde e sobre como preservá-la esse alguém sou eu e mais ninguém. Raiva tive das traições e mentiras, mas isso é outra história.
Fui fazer então o exame com quase certeza de um resultado positivo, porém com uma mínima esperança de que o resultado desse negativo.
Enquanto o exame não ficava pronto aproveitei para me informar ao máximo sobre a situação atual da doença. Pesquisei como nunca e não tive sequer tempo para sentir nada. Isso me acalmou bastante.
Falei para alguns amigos e membros da minha família já cheio de informações e preparando todos para um resultado negativo. A essa altura já tinha recebido um primeiro resultado "inconclusivo", solicitando um segundo exame.
Enquanto eu estava calmo, todos ao meu redor choravam como se eu estivesse recebido uma sentença de morte. A raiva que eu não tinha de quem me transmitiu era um ódio terrível por parte dos meus amigos. Os sentimentos eram todos opostos, e me vi no papel de consolador ao invés de consolado. Como se estivesse tudo ocorrendo com uma terceira pessoa.
O resultado chegou, e como eu imaginava, deu positivo. Li uma vez, me conformei, não derramei uma lágrima sequer e marquei minha consulta com a melhor médica que, por ironia, me foi indicada por esse ex-namorado. Não era a médica dele, mas acredito que seja a melhor.
Não precisei tomar remédio algum e continuo assim até a próxima consulta pelo menos. Do resultado até hoje acho que seis anos já se passaram (já disse que sou péssimo com datas!).
:)

20 comentários:

Anônimo disse...

Fiquei comovido com o seu relato. Você é uma pessoa sensível e que sabe amar e proteger os amigos. Está totalmente certo, não podemos colocar nossa saúde ou felicidade nas mãos de outras pessoas. Só Deus é depositário de tanta responsabilidade. Que Ele te abençoe hoje e sempre,
um abraço,
N.

Positivo Sim disse...

Obrigado N.
Abraços

Anônimo disse...

AMIGO, A SUA HISTORIA É IDÊNTICA A MINHA, O CARA TAMBÉM ERA UM MENTIROSO COMPULSIVO, SÓ FALTARIA SER A MESMA PESSOA, SIM PORQUE ELE TAMBÉM MORA NO RIO MAS MOROU EM MINHA CIDADE ENQUANTO ESTIVEMOS JUNTOS, ELE JÁ DEVE TER DESGRAÇADO A VIDA DE MUITA GENTE, SEMPRE SE FAZENDO DE VÍTIMA E TRANSFERINDO A CULPA.
UM ABRAÇÃO P/VOCÊ
dttiv@yahoo.com.br

Positivo Sim disse...

Caro amigo,
com certeza não se trata da mesma pessoa. :) essa figura morou a vida toda aqui no Rio, mas isso não importa. O que está feito, está feito.
Como disse antes, sequer culpo pela transmissão, afinal de contas minha saúde está nas minhas mãos e não posso confiar isso a ninguém. Fui ingênuo sim, mas não queria ver o óbvio e aceitei o risco da traição descuidada. Não adianta me vitimizar.
Teria culpado se ele tivesse furado preservativos ou algo do gênero, mas como não foi o caso tenho uma enorme parcela de culpa.
Um grande abraço e tudo de bom pra você

Anônimo disse...

fiquei comovido com o seu relato,,e vejo em vc uma pessoa muito forte capaz de superar todas as barreiras da vida. e com certeza a vida e assim mesmo, cheia de obstaculos, e nao tenha duvida DEUS dá conforme a fortaleza,, não a daria a um fraco.
um abraço e continue assim...

Positivo Sim disse...

Agradeço muito o elogio, mas tenho noção das minhas milhares de fraquezas e de tantos obstáculos a serem vencidos. Um deles é sair completamente do anonimato e postar meu nome completo aqui. Ainda não me sinto preparado para superar isso... um dia chego lá!
Um forte Abraço

Anônimo disse...

Prezado Positivo Sim (acho que também no outro sentido, não é?),
Acho que entendo a razão de sua resiliência. Você mesmo nos disse de sua necessidade de proteger os amigos e a família. Uma missão nos torna fortes, apesar dos defeitos. Lembra da frágil Madre Teresa de Calcutá? E até do papa João Paulo II? Dedicaram a vida aos outros e a um objetivo. Como eram fortes, apesar de debilitados pela doença! E como realizaram tanto, apesar do sofrimento do corpo. São exemplos maravilhosos para nós que somos afetados pelo HIV, ou por qualquer doença. Faça deste um espaço positivo e de informação para os que se afligem com a AIDS! Um abraço, força e fé, irmão!

Positivo Sim disse...

Sem dúvida alguma você deu exemplos fantásticos!
Minhas intenções são muitas. Quando coloco um post, ainda que trate de situações complicadas, o faço também pois sei que outras pessoas passam por questões semelhantes. É uma forma de ajuda mútua.
É sempre bom ver que não estamos sozinhos em uma situação, pois isso pode acontecer ainda que bem acompanhados de amigos e família se eles não estão calçando nosso sapatos.
Grande abraço e tudo de bom!

LUCIA REGINA disse...

LÚ CORAÇÃO
AMIGO ADOREI A SUA HISTÓRIA, NÃO POR VC SER POSITIVO,MAIS DA MANEIRA QUE VÊ E ENCARA ESTA SITUAÇÃO,EU NÃO SOU POSITIVO, MAIS TRABALHO DESDE 1990 COM HIV,POIS TENHO VARIOS AMIGOS(AS),QUE SÃO PORTADORES E É ATRAVEZ DO CONHECIMENTO QUE AS PESSOAS SE TRATAM MELHOR, POSSO TE GARANTIR QUE HOJE MORRE MAIS PESSOAS COM CANCER DO QUE COM HIV, SO MORRE DAS DOENÇAS OPORTUNISTAS DO HIV QUEM NÃO LEVA O TRATAMENTO A SÉRIO.
AMIGO PODE TER CERTEZA QUE A PIOR DOENÇA É O PRECONCEITO.
FIQUE COM O CRIADOR!!!!

Positivo Sim disse...

Cara Lucia Regina,
muito obrigado e parabéns pelo seu trabalho!
Um abraço apertado

Anônimo disse...

Nossa, lendo seu blog acabei encontrando um pouco de paz e esperança. E vou acabar criando um também, invejinha básica rssrrs.
Mas como você e muitas outras pessoas o HIV me pegou de surpresa.
Desde 2005 venho fazendo exames todo mês de abril e sempre deu negativo.
A mais ou menos um mês, meu irmão com 43 anos começou a ter fortes vertigens, fomos ao neuro e acabamos fazendo uma ressonancia pois ele estava perdendo os movimentos do lado esquerdo, ao sair o resultado o neuro de pronto encaminhou a um infecto e pronto, estavamos ali eu e meu irmão diante de um caso de aids. Foi questão de uma semana para ser diagnosticada uma neurotoxoplasmose, que acabou virando hemiparesia cerebral, internamento, exames e mais exames e hoje, com 20 dias de tratamento e cd4 na casa dos 160, nada de melhoras, ontem o médico dele receitou os anti-retrovirais ......

Não bastasse o susto de ter meu irmão portador do hiv e desenvolvido a aids, acabei acreditando estar somatizando alguns dos sintomas da contaminação. Como tinha feito exame a um ano, resolvi fazer o elisa 1 e 2 ... passados cinco dias ja mais tranquilo pelo laboratorio não ter me chamado para colher nova amostragem, toca o telefone e recebi a noticia por telefone mesmo, seu resultado deu positivo, precisamos colher nova amostra. Hoje fazem 5 dias que sei que sou soropositivo, estou aguardando a carga viral e cd4, assim como western blot .... Mas meu infecto ja me adiantou alguns antibioticos preventivos até virem os resultados, pois acreditava estar com uma virose danada e ao contrario era o hiv se manifestando.
Pior de tudo é saber que apesar de não ter um namorado, sai com meia duzia de pessoas neste período todo, sempre usando preservativos e mesmo assim o hiv me achou.
Não sei se posso ter contraído de meu irmão, pois usavamos objetos como cortador de cuticulas, unha, entre outros em comum, mas isso não importa.
Não chorei e nem vou chorar, nem lamentar, apenas lutar para que a aids agora não se manifeste e pelo reestabelecimento de meu irmão.
Confesso que está machucando e muito, mas isso logo passa, pois o bom exemplo que o proprietário do blog, que já esqueci o nick está dando, foi o melhor que encontrei em dias e mais dias de pesquisa.
Que Deus possa nos orientar a encontrar sempre mais pessoas assim, com alma aberta para a realidade que terei que enfrentar daqui para frente.

Abços e felicidades ...

Positivo Sim disse...

A culpa realmente de nada resolve!
Tirando a questão de preservativos que estouram, normalmente quando não se sabe utilizar (aprendi que ao invés de apertar a ponta como está nas embalagens, o correto é enrolá-la antes de colocar, pois um pouco de ar já pode ser osuficiente para estourar), dificilmente se contrai o HIV com sexo seguro (ai pode se considerar o fato de não entrar em contato com o esperma nem oralmente).
Cortadores de cutículas são problemas sérios, pois grande parte das manicures possuem hepatite b e c por conta disso. Da mesma forma, escovas de dentes e aparelhos de barbear devem ser de uso exclusivo e não compartilhados.
Te desejo tudo de bom!
Um grande abraço!!!!

Positivo Sim disse...

A culpa realmente de nada resolve!
Tirando a questão de preservativos que estouram, normalmente quando não se sabe utilizar (aprendi que ao invés de apertar a ponta como está nas embalagens, o correto é enrolá-la antes de colocar, pois um pouco de ar já pode ser osuficiente para estourar), dificilmente se contrai o HIV com sexo seguro (ai pode se considerar o fato de não entrar em contato com o esperma nem oralmente).
Cortadores de cutículas são problemas sérios, pois grande parte das manicures possuem hepatite b e c por conta disso. Da mesma forma, escovas de dentes e aparelhos de barbear devem ser de uso exclusivo e não compartilhados.
Te desejo tudo de bom!
Um grande abraço!!!!

D disse...

Eu de novo. Resolvi ler o início do blog. Afe, tenho que fazer mais exames... Tédio. Engraçado esse lance de reação. A minha foi ir para academia. Interessante que me veio à cabeça que já havia pedido a Deus (não formalmente) para que não permitisse que eu ficasse velho. Olha, talvez tenha sido uma forma de atender o pedido, rs. Já peço desculpas por comentários com humor negro. Mas é inevitável; ínsito a esse ser que escreve. Sabe que gostei da idéia de escrever. Talvez eu também coloque no virtual aquilo que se passa comigo na real. É um escape. Bem, obrigado por escrever suas notas e compartilhar com os demais homo sapiens.

Abraço!

George disse...

Parabéns pelo site, muito lindo.
Eu e meu namorado somos soro divergentes, ou seja, eu não tenho HIV, mas sempre procuro conhecer de perto tudo isso, e tentar, me aproximar daqueles que precisam entender, que HIV NÃO é na realidade um fim, mas sim um recomeço.

Qualquer Ajuda....

george_niceas@hotmail.com

Recife-PE

Positivo Sim disse...

Obrigado George.
Abraços

Anônimo disse...

Oi queridos,sou soro positivo ele sabe,meu namorido hj negativo,pensei em acabar depois que o dele deu negativo com receio de o contaminar,ele diz que nada muda ntre nos dois,o que devo fazer aigos

Positivo Sim disse...

Realmente acredito que nada muda!!!!
Basta se precaver e viva o sexo seguro!
Aproveita que vc tem uma pessoa que se importa com vc e é bastante esclarecida.
Abraços

Anônimo disse...

oi uma amiga minha descobri-se gravida, alegriaaa,enfim fez o teste de hiv q acabou dando positivo... assim q ela mim falou apoiei aconselhei mais estou assim,assustada sobre tudo,por que ela eh muito leiga a esse respeito,nunca se informou de verdade e aki o preconceito e muitoo grande cidade pequena inteerior.e axo q eu tow me descobrindo preconceituosa tbm, tow muito mal por isso,mais respeito a tos q tem e gostaria muito de ser uma pessoa melhor e diferente mais tenho medo do convivio,descupas positivo e todos os demais .....

Positivo Sim disse...

Não há porque se desculpar!
Você está tentando e buscando informações.
Continue assim a vai ver que o preconceito irá embora!
Abraços