Quem sou eu

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
positivosim@gmail.com Sou um cara normal, que contraiu o HIV em uma relação homossexual monogâmica (ao menos da minha parte). O resto vai ser postado aqui nesse blog...
Google
 

domingo, 28 de outubro de 2007

Tentativas de Namoros Frustradas

Digo que meu último namorado foi o que me transmitiu o HIV pois foi para mim o último namoro significativo. É claro que não fiquei em casa sentado, esperando o príncipe encantado aparecer porta adentro! Tentei, e tentei muito namorar após aquele relacionamento conturbado. Os resultados, contudo nunca foram satisfatórios.
A impressão que tenho é de que passei a buscar relações impossíveis. Por mais piegas que possa soar, me vem à cabeça um trecho de uma música do Kid Abelha (na rua, na chuva, na fazenda), onde a Paula Toller canta: "dizem que sou louca, por eu ter um gosto assim, gostar de quem não gosta de mim". Era basicamente isso que me acontecia! As únicas pessoas que me atraíam eram aquelas que não estavam muito interessadas, ou nem um pouco, pessoas complicadas que não queriam relacionamentos. Resumindo, me interessava por relações impossíveis! Nesses casos vinha aquela sensação de adolescência, com direito a frios na barriga e sobressaltos ao toque do telefone. Quando a relação ficava mais profunda a química era ótima, porém algum tempo depois, quando me via pensando em um futuro, em contar o fato de ser soropositivo, a pessoa em questão sumia, resolvia dar um tempo, ou simplesmente terminava o que sequer havia começado. Provavelmente eu captava alguma coisa e isso me trazia o interesse, uma completa auto-sabotagem!
Só para esclarecer: não falava ter HIV por não saber o momento adequado e por medo mesmo. Medo de rejeição, de exposição, todos os medos possíveis e imagináveis. Imagino que seja uma questão séria e comum para a maioria das pessoas. Porém sempre tive o maior cuidado possível na hora do sexo, em todo o momento usando preservativo e até mesmo esclarecendo várias coisas aos "pretensos namorados".
É impressionante como as pessoas tendem a se arriscar!
Por outro lado, aqueles que queriam me namorar não despertavam maior interesse na área afetiva e sexual. Tentava, tentava, mas ficava "dando murro em ponta de faca"! Era completamente racional e nada emocional. Pensava com meus botões: "estou ao lado de um cara inteligente, interessante, bonito, que me trata bem, acho que devo continuar tentando. Alguma hora me apaixono, a química aparece." Mas aquela coisa de "pele" nunca vinha.
Eu já iniciava um relacionamento pensando em como iria terminá-lo. O fantasma do HIV estava sempre ali me assombrando. Afinal, em alguma hora eu teria que falar a respeito, mas que hora seria essa? No início, quando ainda não tinha muita intimidade, não conhecia muito bem e não sabia se podia confiar? Mais tarde, quando eu poderia estar mais envolvido e a rejeição seria péssima, ou causar uma indignação por não ter confiado em um sentimento verdadeiro por parte do outro?
Todas as relações foram relativamente curtas, acho que 3 meses no máximo, e sempre com muita distância entre os encontros, porém uma me marcou bastante. Infelizmente foi com alguém que estava completamente apaixonado mas não consegui me envolver muito.
Um dia resolvi que tínhamos que conversar. Fiz milhares de rodeios, mas cheguei ao ponto. Contei toda a minha história e que era soropositivo!
Para a minha surpresa ouvi a seguinte resposta:
- "Que bom! Achei que você estivesse terminando comigo.
Fiz a única coisa que podia, sorri de orelha a orelha, como faço agora ao relembrar essa situação, com muito carinho, aliás. Sem dúvida alguma estava ao lado de uma pessoa especial.
No mesmo dia dormimos juntos e percebi que o sexo foi um pouco diferente, mas isso é mais do que compreensível. Contudo, com o tempo, mais uma vez me vi desinteressado, apesar de tamanha compreensão e carinho, alguma coisa faltava e a relação não foi para frente. Resolvi terminar.
Hoje imagino se dentre esses caras, algum ou alguns não se encontravam na mesma situação que eu. O que teria ocorrido se eu tivesse contado ser soropositivo e como me sentiria com as reações. Mas de passado não se vive, serve apenas para aprender e não cometer os mesmos erros.

5 comentários:

LUCIANO FIGUEIREDO disse...

Cara, bem legal seu blog. Parabéns!
Tenho certeza que tem ajudado muita gente!

Positivo Sim disse...

Obrigado Luciano.
Espero que sim!
Grande abraço

Carla disse...

Olá,

Sou Carla Maria da Silva, aluna do curso de Ciências Biológicas, modalidade licenciatura.
Venho através deste e-mail, pedir a sua colaboração para a realização de um trabalho acadêmico que será apresentando à disciplina de Prática de Ensino em Biologia, da Universidade Presbiteriana Mackenzie.
Este trabalho consiste na produção de um vídeo sobre o vírus da Aids, na qual abordaremos as formas de prevenção, a ação do vírus no organismo e as formas de tratamento, visando também divulgar os serviços oferecidos gratuitamente pelo governo para os portadores, que será postado no site: www.youtube.com.
Caso queira colaborar com este trabalho , peço gentilmente que mande um depoimento que julgue ser importante para as pessoas que assistirem o vídeo, também peço que envie uma foto para ser usada como plano de fundo do seu depoimento, dê preferência fotos que não tenham pessoas, para que desta forma não seja exposta a sua imagem ou de qualquer outra pessoa.
Caso queira, sua identidade, seu e-mail para contato será mantido em sigilo.

Agradeço desde já a sua atenção.
Carla Maria da Silva Biologia - Mackenzie
e-mail: carlabiologiamack@gmail.com

Positivo Sim disse...

VAMSO DAR UMA FORÇA NESSE TRABALHO!!!
Não me sinto pronto ainda para postar foto, acho que preciso de certa autopreservação! Sei que não dá para quebrar preconceitos sem a exposição até o ponto de que as coisas sejam vistas de outra forma, porém egoisticamente prefiro levar a minha vida da forma mais fácil possível dentre todas as dificuldades.
Acho fantástico quem levanta bandeiras, como o Cazu Barros, mas ainda não estou neste ponto.
Sem fotos mando meu depoimento feliz em contribuir!

Anônimo disse...

nao sei o que dizer,estou desesperada, descobri que o rapaz com quem tive um caso tem sida, nao sei o que fazer, fiz o primeiro exame, deu negativo, estou a dar um tempo para fazer o segundo, estou deseperada, nao sei o que vai ser da minha vida se isto me acontecer, sei que o mais provavel é eu ter, o que vai ser de mi?