Quem sou eu

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
positivosim@gmail.com Sou um cara normal, que contraiu o HIV em uma relação homossexual monogâmica (ao menos da minha parte). O resto vai ser postado aqui nesse blog...
Google
 

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Dificuldades em Encontrar um Amor

Dentre mil e uma coisas faladas hoje na minha análise, uma foi mais marcante e tomou mais tempo, as dificuldades que tenho para encontrar "o alguém". Fiz toda uma restropectiva da minha vida amorosa.
Passando por todos os meus namorados, conclui que fui apaixonado pelo primeiro e último e amei o do meio, com quem passei menos tempo.
Eu tomei a iniciativa de terminar com todos, não que isso seja importante, mas é um fato.
As paixões foram obviamente mais irracionais, e com a intensidade que começaram, muito rápida e fortemente, terminaram, bastando um dia a "ficha ter caído" para irem por água abaixo e eu me ver com a questão esclarecedora: "o que estou fazendo com essa pessoa?" Porém em ambos os casos foram necessários mais de 2 anos para essa questão surgir, e com ela a ilusão que tinha e a idealização que fazia irem embora.
O término do amor que experimentei foi algo bem mais sofrido. Terminei amando, e amando muito.
Senti que a relação não estava indo bem e perguntei para ele se ainda me amava (resposta essa que já tinha ouvido positiva outras vezes). Minha resposta foi uma incerteza. Disse que não sabia, mas que gostava muito de mim e achava que aquilo bastava.
As palavras doeram lá no fundo do coração e foram o suficiente para eu decidir que não ia ficar sofrendo em doses homeopáticas.
Para mim aquilo não era o suficiente. Não ia ficar com alguém que não me amava quando já estava praticamente morando junto. Era melhor sofrer de uma vez só, pois com o tempo o coração se cura. Assim terminei... e sofri muito.
O começo foi diferente das outras relações, foi mais calmo, mais racional, posso até dizer que foi mais gostoso. Não havia aquela ansiedade presente nas outras e tudo era mais aberto, claro. Ao mesmo tempo teve algo de complicado. Como não foi aquela coisa arrebatadora, fiz algo péssimo que tenho mania - colocar milhões de defeitos na pessoa. Recebi um puxão de orelha do meu analista da época, que me disse não saber ser feliz, que quando a felicidade aparecia eu estragava tudo pois a angústia era minha zona de conforto, meu local conhecido. Pode parecer terrível mas ele estava coberto de razão e foi um apontamento que me fez mudar de atitude. Assim o relacionamento foi para frente ao invés de ter sido boicotado por mim.
Hoje fui muito questionado sobre coisas que eu falo sem perceber, como: como é o meu "tipo", o que eu procuro em alguém, e várias outras questões relativas ao relacionamento amoroso. Cheguei a conclusão que o tipo físico ideal não existe realmente, afinal nenhum dos meus namorados faziam o meu "tipo" fantasioso, mas todos me atraíram; procuro na área amorosa a virtude que busco em mim em outras áreas, a temperança, o caminho do meio, alguém que não seja extremamente carente mas que queira um compromisso, ir conhecendo aos poucos e gostando cada dia mais.
Vejo que isso é difícil para todos, independente de orientação sexual ou soropositividade. O mais comum é encontrar pessoas apenas interessadas em sexo pelo sexo ou de uma tamanha carência que querem se casar em uma semana, sem sequer conhecer quem está ao lado.
Não encontrei resposta para uma questão: A QUÍMICA!
Por que existe aquela coisa de pele, aquela química, com algumas pessoas e outras não, ainda que a razão nos diga que sejam fantásticas? Quando ela não existe em nível algum é como dar murro em ponta de faca.
Acho que esse post foi mais uma enxurrada de pensamentos do que qualquer outra coisa. Não sei sequer se fará sentido para outra pessoa que não eu. De qualquer forma deixo abaixo uma sugestão de um filme de amor que adoro. Um drama, que eu já gosto, mas muito bonito.
Amor Além da Vida (What Dreams May Come)
É a história de um casal, Chris Nielsen (Robin Williams) e Annie (Annabella Sciorra) que se apaixona a primeira vista... o resto desisti de postar pois não há como contar sem estragar a história.

4 comentários:

Ticotediz disse...

To no aguardo de um novo post...
Será que só eu sou seu fã?
Beijaum

Positivo Sim disse...

Meu querido,
olhei sua mensagem e já sorri!
Fiquei sem entrar no pc por um tempo, mas volto hoje a postar.
Beijo grande

Ser Abissal disse...

oi, me identifiquei com certas coisas do seu relato, bom só tive um namorado que durou muito pouco, o resto foram casos e romances e coisas que nao sei dar um nome mas que nao foram um namoro... enfim, sempre botei muito defeito nos caras tb, perdi oportunidades de caras otimos que acho que nunca mais vao voltar, acho que a verdade é que eu nunca tive saúde mental, faço tratamento psiquiatrico pra toc,depressao e ansiedade desde os 18 anos, e tenho 36 agora,nunca tive paz ,minha mente me atormenta, as vezes passo um tempo bem depois volta tudo,sou espirita e acho que meu karma é ficar sozinho mesmo, recentemente um cara que eu fiquei desistiu de mim, e ha muito tempo alguem nao me tocava tanto, mas nao consigo ter um lance que seja reciproco.... entao parei de procurar,tava me fazendo muito mal cada decepçao que rolava.. é isso!:)

Positivo Sim disse...

Olá Ser Abissal,
todos nós temos questões a lidar.
Além de tratamento psiquiátrico, você faz terapia?
Acho que terapia é algo que sempre pode nos beneficiar. O importante é fazer cm alguém que vc tenha empatia.
Abraços,
p.