Quem sou eu

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
positivosim@gmail.com Sou um cara normal, que contraiu o HIV em uma relação homossexual monogâmica (ao menos da minha parte). O resto vai ser postado aqui nesse blog...
Google
 

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Sorodiscordantes – parte II

Hoje recebi um e-mail de um rapaz, que me parece fora do comum, que me inspirou escrever esse post.

Após a leitura do e-mal dele, onde mostrava todo o carinho, apoio e amor pelo ex-namorado, que havia descoberto ser soropositivo, imediatamente lembrei de um amigo.

Meu amigo atualmente mora com a namorada. Lembro como se fosse hoje do dia que me contou estar apaixonado. Eu estava mostrando minha cantora/compositora favorita, e ele me disse que ela era por demais parecida com a moça com quem ele estava saindo. Me colocou no celular para falar com ela após me mostrar o seu perfil no FaceBook. Ela foi de uma simpatia singular, e logo me vi enviando clipes de quem realmente parecia tanto com ela.

Passado algum tempo ele me conta que ela era portadora do HIV, mas isso não parecia preocupá-lo de forma alguma.

Ela não tem problema nenhum com o fato de ser portadora do vírus, e tampouco de partilhar isso com os outros. Fato esse que invejo bastante (inveja no sentido de que gostaria de ser assim, nunca numa conotação negativa).

Hoje os dois moram juntos e me parecem bem felizes. Sei que ela faz muito bem a ele, ajudando nos momentos difíceis que enfrenta.

Fica aqui a dica de um livro que ganhei do autor como um presente após ler o blogue, e a ideia de abrir um espaço para comentários de soronegativos sobre como foi para eles descobrir a questão de seus/suas companheiros(as):

9788536626970_

Livro, baseado em depoimentos reais, de pessoas soropositivas, conta a história de Liana, uma professora universitária recém-divorciada que contraiu HIV do ex-marido, na esperança de uma nova vida, ela decide lecionar numa universidade afastada da cidade, onde conhece Samir, um jovem aluno de medicina, com o qual ela tentará construir uma família, mesmo tendo que enfrentar, diariamente, o preconceito da sociedade quanto à doença. Ela tem HIV e ele não, e juntos lutarão para construir uma família, esta é a realidade de muitos! Livro: Hoje, Intensamente... Você Autor: Robert Filgueira Júnior Editora: Scortecci Ano: 2012 Facebook: http://www.facebook.com/HojeIntensame... Categoria Educação Licença

6 comentários:

Anônimo disse...

Não sei de onde tirei forças para fazer tanto . mas de uma coisa eu sei o amor vence qualquer barreira...

e digo mais se pudesse faria de novo e de nvo mais 100000 vezes se preciso fosse...

Me pego pensando nele agora que ele terminou comigo mas mesmo assim eu o amo...

com ou sem hiv não me importa ele e pra mim mais que uma pessoa vai ser sempre meu anjo...

Tamy disse...

Sou soronegativa e hoje meu marido soropositivo a mais de 3 anos. No inicio isso foi um problema para ele, e não para mim! Somos casados a pouco mais de um ano. E faria tudo novamente. Temos uma vida normal, não sei explicar o porque mas tendo outros casais por perto me vejo muito mais feliz que eles! Não sei se pelo fato de termos uma "doença" no nosso cotidiano. (deixando claro que isso não faz vivermos diferente que qualquer outro casal)Nos damos mais valor e nos respeitamos muito mais!!!

Positivo Sim disse...

Parabéns Tamy!
Há um tempo atrás conversei com alguns amigos sobre a questão do preconceito.
Me perguntava se o preconceito a respeito do HIV seria maior da minha parte ou da parte de uma pessoa com a qual eu poderia me relacionar.
Meus amigos acham que eu sou o maior preconceituoso, que os outros normalmente levam numa boa, quando são pessoas esclarecidas.
Ainda não tenho uma opinião formada se é isso mesmo no meu caso.
Voltando ao seu post, só tenho que te dar os parabéns!
Um grande abraço

Anônimo disse...

Oi sou nova aqui,amo muito um homem soropositivo, eu sou soronegativa, ele é o melhor marido do mundo,mas eu ainda não tenho coragem de dizer aos meus filhos e minha família que ele é positivo,medo do preconceito, deles não o aceitarem,mas estou pensando em assumir tudo isso pois ele é o homem maus incrível que conheço,me trata como uma princesa,e nunca abrimos mão do preservativo.Mas eu tenho meus medos,medo dele contrair uma dessas doenças,como aconteceu há pouco, ele quase morreu, contraiu tuberculose e meningite e isso me deixou em pânico, principalmente pq minha filha de 8 anos mora conosco,e pela primeira vez eu tive vontade de deixá-lo,pois fiquei com medo da minha filha adoecer,mas por outro lado me achei covarde,coloquei em dúvida meu sentimento, e mesmo usando preservativo hj estou com medo de estar com o vírus, pois o vi quase morto,muito debilitado e me estou muito assustada,com pavor de fazer o exame,e prestando muita atenção no meu corpo e achando que fui infectada,por favor me ajudem..

Anônimo disse...

Olá, sou nova aqui,eu amo um soropositivo e por isso cheguei aqui,sou soro negativa,mas nele achei um homem incrível em marido super carinhoso e atencioso, eu mergulhei com tudo,quando nos conhecemos ele me contou,achei lindo da parte dele,foi super honesto,e eu gostei disso,nosso sexo é espetacular,sempre com preservativo,é claro,nunca vacilamos,estava tudo bem,até ele contrair uma meningite e uma tuberculose, isso me fez parar,me deixou em pânico, pois minha filha de 7 a ninhos mora conosco,não sei se quero colocar a saúde dela em risco,mas me sinto covarde quando penso em deixá-lo,mas estou apavorada,agora entrei na Neura que estou contaminada,estou com medo de fazer o exame,mesmo usando sempre o preservativo,fico achando que fui contaminada,pelo beijo,pelo sexo oral que ele faz em mim,pq eu faço nele com camisinha, fico achando que a camisinha não funcionou, estou com medo e me perguntando será que estava preparada pra esse amor,só sei que ele não merece ser deixado por isso,ele não é um vírus, é um ser humano ímpar, e o homem que toda mulher gostaria de ter ao seu lado,por favor me ajudem..bjs

Positivo Sim disse...

Só posso sugerir que você faça o exame.

Não se sinta mal, o sentimento de preservar a sua filha é mais do que normal e acho que posso dizer sem leviandade que até mesmo sadio. A questão não é o HIV, mas meningite e tuberculose são doenças que ela poderia contrair.

Quanto ao beijo, não há como contrair assim.

Vá a o imunologista com ele e tire suas dúvidas. Realmente é preocupante ele estar tendo essas doenças. Pode ser coincidência ou ele pode estar com a imunidade baixa. É necessário verificar o que está ocorrendo.

Abraços,
p.