Quem sou eu

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
positivosim@gmail.com Sou um cara normal, que contraiu o HIV em uma relação homossexual monogâmica (ao menos da minha parte). O resto vai ser postado aqui nesse blog...
Google
 

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Perdas

Esse post vai contra a minha intenção ao criar esse blogue.

Ao ler blogues sobre HIV não gostei do que encontrei na época. Li muitos textos de pessoas se vitimizando, postagens tristes.

Obviamente não há nada de bom ao ler em um papel que você possui um vírus para o qual não existe cura, com o qual você terá que conviver pro resto da sua vida. Entretanto, como já expus aqui, não é uma sentença de morte. Os medicamentos atuais permitem que o soropositivo tenha uma vida normal.

Hoje, mais de uma década após descobrir que eu sou soropositivo, sinto raiva.

Perdi meu avô há pouco tempo, o que gerou um mar de sentimentos. Me senti tolhido do meu luto, pois para que minha avó (já separada dele desde que nasci) não desmoronasse, foi decidido que a morte dele não fosse revelada para ela.

Me vi essa semana sem a menor vontade de ir à análise, mas fui ainda assim. Foi uma sessão bastante produtiva, onde falei de diversas coisas que me irritavam.

Pela primeira vez em todo esse tempo senti raiva. Estava com raiva de ter contraído o vírus, afinal nunca fui um cara promíscuo e sempre me protegi, com exceção da relação na qual a infecção ocorreu.

Perdi meu avô, mas me dei conta de que já perdi muitas pessoas queridas, que perdi muitas oportunidades e que também perdi fases do luto… não me refiro ao luto da morte, mas ao luto de me descobrir HIV positivo.

É mais que natural passar por um processo de tristeza, de raiva e todas as outras fases do luto quando nos descobrimos portadores do HIV. Contudo, ao invés disso, foquei em consolar amigos e família, em me alienar ao lidar com os problemas alheios para não ter que lidar com o meu.

Sentir isso é natural e saudável, para que possamos seguir adiante.

Agora sinto que posso virar uma página e continuar minha vida, pois ficar remoendo e me vitimizando não trará nada de positivo.

Nenhum comentário: